Notícias

Abertura de congresso sobre Down emociona plateia no Centro de Convenções

Sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Mary Wanderley

O Congresso Brasileiro sobre Síndrome de Down que acontece no Centro de Convenções, no Jaraguá, até este sábado (28), reúne uma diversidade de temas com o intuito de instrumentalizar as pessoas portadoras desta deficiência, familiares e profissionais. Segundo a organização do evento, Instituto Amor 21, a deia é exercitar a prática inclusiva como forma de conquistar a cidadania e autonomia para essa parcela da sociedade, considerando os princípios constitucionais da igualdade, solidariedade, dignidade e cidadania.

A presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems), Izabelle Pereira, ressaltou que é dever de todos lutar por uma política inclusiva e mais justa, uma vez que o preconceito empobrece a sociedade economicamente e moralmente. "Precisamos auxiliar no enfrentamento do preconceito e na efetivação de direitos, assegurando o acesso a serviços de saúde em centros de reabilitação e enxergar todos como cidadãos com potenciais, sonhos e vontades de aprender. Desejo que os 4.300 portadores de síndrome de Down do nosso Estado continuem lutando pala garantia de oportunidades", destacou. 

Com mais de dois mil participantes de vários estados brasileiros e mais de 300 palestrantes - sendo 20% destes portadores da síndrome - o Congresso teve uma abertura oficial na noite dessa quinta-feira (27) que emocionou o público. Com vários estilos folclóricos de dança, os grupos que se apresentaram eram formados por crianças e jovens com a síndrome. Vale ressaltar que a pequena Mariana, que tem Down, roubou a cena em vários momentos da solenidade quando retornava ao palco e dançava sem parar, levando a plateia ao delírio.  O jovem Samuel também portador da síndrome trabalhou na solenidade, ajudando na realização do cerimonial.

O discurso da presidente do Congresso, Flávia Bandeira (portadora da Síndrome) também mexeu com a emoção do público, já que ela defendeu a autonomia deste público. "Queremos o direito a oportunidades; sentir emoções, sensações e aptidões; trabalhar, passear e namorar", afirmou Flávia, com sorriso estampado no rosto ao contar que é formada em Pedagogia, trabalha e namora.

A presidente da Federação Brasileira da Síndrome de Down, Neli Santos, historiou as fases de enfrentamento da sociedade com relação a esta deficiência, ressaltando que os portadores viviam de certa forma em confinamento. "Eles não tinham direito a espaços sociais, escola, lazer, mundo afetivo e ao casamento. Eram segregados das suas capacidades e devemos desculpas históricas a esta parcela até então esquecida da sociedade. Eles devem ser o que puderem ser e a família e o Estado devem ser promotoras destas possibilidades", destacou.

O depoimento da presidente do Instituto Amor 21, Neila Sabino, mãe do Artur que tem a síndrome, também chamou a atenção da plateia. Ela narrou o drama vivido ao saber que o filho seria diferente e apelou para os pais, professores e profissionais das instituições que lidam com este público que permitam a inclusão dele na sociedade, sem o preconceito ou super proteção que limita. "Que os pais acreditem em seus filhos e invistam na capacidade deles, porque mais desastroso é o amor que limita", advertiu.


A jornalista e escritora Cláudia Werneck, mãe da atriz Tatá Werneck, afirmou que a síndrome não é defeito da natureza e o portador não está na órbita das pessoas que não a tem. De acordo com ela a sociedade brasileira engatinha para não discriminar diferenças de qualquer natureza. Segundo ela, o Congresso terá mais valor se todos que participam dele perderem o medo de praticar a inclusão. 


"Precisamos adotar a linguagem simples e espero que o próximo evento sejam utilizadas placas para os portadores erguerem quando não entenderem o assunto", reforçou lembrando a necessidade de evento deste porte incluírem os portadores de baixa renda", destacou Wernec. O evento segue até sábado com palestras enriquecedoras e inovadoras sobre o tema e conta com área de recreação, palco para apresentações culturais, cinema, dentre outras atrações.

Compartilhe esta notícia:

+ Mais imagens

:: newsletter
COSEMS/AL © 2015 - Todos os direitos reservados.
Rua Ricardo César de Melo, 179 - Pinheiro - Maceió/AL - CEP: 57.055-670
Fone: +55 82 3326-5859 - cosemsalagoas@gmail.com
SET Web Studio